A 13ª edição do Los Angeles Brazilian Film Festival começa nesta quarta-feira (21) em um formato nunca antes realizado. O evento, considerado um dos principais festivais de cinema brasileiro no exterior, será completamente online. A nova versão, produzida por conta da pandemia do novo coronavírus, promete surpreender pela experiência oferecida pela plataforma Filmocracy, que abrigará o LABRFF 2020. O contato entre todos que estiverem online, com áudio, vídeo e chat, é uma das possibilidades. Filmes on-demand e outros com horários definidos para exibição, bate-papo com elenco e diretores, workshops, e diversos painéis fazem parte de uma extensa programação que segue até o domingo (25). A 2ª edição do Los Angeles International Music Video Festival (LAMV), competição de music videos fundada dentro do LABRFF, também traz novidades este ano, como a votação popular.

Todos os anos a capital mundial do cinema abre as portas para os talentos brasileiros mostrarem o que vem sendo feito de melhor na sétima arte no nosso país. Essa vitrine de oportunidades para os profissionais do Brasil se repete desde 2008, quando foi fundado o Los Angeles Brazilian Film Festival. Idealizado pela produtora de cinema Meire Fernandes, e pelo jornalista Nazareno Paulo, o evento já nasceu forte, com apoio de astros brasileiros e americanos que compreenderam as portas que estavam sendo abertas a partir das conexões que um festival de cinema poderia gerar. “Nós percebemos que faltava algum mecanismo que conectasse as indústrias brasileira e americana de maneira direta, aqui em Los Angeles. O mercado já sentia essa necessidade com o cinema brasileiro chamando cada vez mais atenção. O LABRFF nasceu para preencher essa lacuna”, explica a fundadora, Meire Fernandes.

Logo nas primeiras edições do LABRFF, as presenças de nomes brasileiros em ascensão nos EUA, como do ator Rodrigo Santoro e do diretor Fernando Meirelles (Cidade de Deus), além de astros consagrados em Hollywood, como o ator Dustin Hoffman, já demonstravam que a troca de experiências entre os profissionais dos dois países seria promissora. Mas os resultados gerados ao longo de 12 anos desde a fundação surpreenderam. Mais de 800 títulos já foram exibidos, e mais de 300 profissionais do cinema brasileiro já foram premiados. As conexões feitas entre os intervalos das sessões rendem muitas histórias ao longo de mais de uma década. Talentos que se conheceram no LABRFF, acabaram trabalhando juntos em novos projetos que surgiram de ideias durante o festival. Estudantes de cinema, voluntários da produção do evento, acabaram retornando em edições seguintes com seus próprios filmes na Seleção Oficial. É o papel de incentivo aos novos talentos, que também é marca do LABRFF.

Mas além do festival ser uma grande comemoração do cinema brasileiro e gerar conexões espontâneas, o evento mantém um papel fundamental para a geração de negócios entre Brasil e Estados Unidos. O Brazilian Film Market (BFM), feira de mercado mantida dentro do LABRFF, tem sido responsável pela conexão dos talentos brasileiros com a indústria americana. Foi no BFM que foi firmado o contrato para o primeiro filme original NETFLIX do Brasil (“O Matador”, de Marcelo Galvão), além de outros projetos com grandes estúdios, como a comédia “Solteira Quase Surtando”, lançada este ano nos cinemas brasileiros. O longa é uma parceria com MGM Studios graças ao intermédio do BFM.

Observando a força do mercado musical, o LABRFF também acompanhou a demanda crescente por conexões nessa área, e em 2019 fundou o Los Angeles International Music Video Festival (LAMV), que contou com grandes nomes da música brasileira já em sua primeira edição. “O objetivo desse festival é juntar o melhor de dois mundos: cinema e música. Desde sempre o ser humano conta histórias e a música tem um poder extremamente forte, que deixa marcas para a vida. Queremos estimular a criação de novas ideias e diferentes formas de se conectar através de music video”, explica o diretor do LABRFF e fundador do LAMV, Manoel Neto.

A cerimônia de abertura da 13ª edição do evento está marcada para 2PM (Horário de Los Angeles), 18h (Horário de Brasília). A partir desse horário, todos os presentes poderão circular entre as mesas e conversar entre si. Na sequência, haverá transmissão do red carpet online, antes da participação da fundadora do LABRFF, Meire Fernandes. Após o encerramento da solenidade será exibido o filme “Piedade”, de Cláudio Assis, com Fernanda Montenegro, Cauã Reymond, Matheus Nachtergaele, Irandhir Santos e Gabriel Leone. O longa aborda questões sociais, uma marca do diretor. Logo após a exibição do filme, as pessoas poderão voltar às mesas para mais bate-papo, antes do início de dois shows musicais.

Toda programação do LABRFF 2020 pode ser conferida no labrff.com, onde também é possível adquirir o ingresso único que dá acesso a todos os dias do festival.

2º LAMV

O festival de music video, fundado ano passado dentro do LABRFF, traz uma grande novidade este ano: a votação popular. Com obras de várias partes do planeta, qualquer internauta poderá escolher a melhor em duas categorias: Melhor Music Video e Melhor Performance Artística. A votação é por meio do site labrff.com. “Temos uma diversidade de obras surpreendente, o que é marca do LAMV desde a sua fundação, em 2019. De obra do Oriente Médio ao fenômeno brasileiro Anitta, os ritmos são os mais variados e a nossa votação vai mostrar um termômetro do gosto dos internautas ao redor do mundo. Estamos bem felizes com essa possibilidade”, comemora Manoel Neto, fundador do LAMV.