Ela tem uma paixão por conectar pessoas, marcas e eventos com sucesso. São 24 anos de carreira, sendo 19 anos como Relações Públicas no carnaval em Salvador paralelamente ao carnaval de Olinda / Recife, no Carnaval de Florianópolis e no carnaval do Rio de Janeiro. Ou seja, experiência de sobra quando o assunto é a maior festa do planeta.


Formada em Jornalismo a brasiliense radicada no Rio de Janeiro desde 1990, vem se especializando também há quatro anos em desenvolvimento pessoal e mentoria de carreiras. Com um programa de aprendizagem de criar e utilizar suas conexões de sucesso na vida pessoal e profissional, construindo relacionamentos estratégicos e posicionamento de mercado, associado ao autodesenvolvimento para o nicho artístico, digital, esportivo e de empreendedorismo. Em 2016 atuou como gerente de Relações Internacionais, responsável pela logística e relacionamento de presidentes, reis, príncipes, todos os chefes de estado e de conversações, COB e COI em uma das maiores e melhores experiências da sua vida profissional.

“O sucesso é a construção e realização diária de várias conquistas pequenas e suas conexões inteligentes entre o seu verdadeiro EU com o mundo”.
 
Nessa edição do “Nova Era”, uma entrevista diferente para uma pessoa de tanta alegria, experiência e dedicação ao seu trabalho. É um ano de SILÊNCIO para quem escuta e vibra tantos gritos e sorrisos. Mas ela não baixou a guarda e na nossa conversa destaca como se renovou e se reinventou e deu a volta por cima nesse momento tão delicado que estamos vivendo. Ela tem um mundo só dela e sorte de quem é convidado para fazer parte, #mundoGis com vocês Gis de Oliveira.

Quando foi seu primeiro Carnaval? O primeiro contrato que tive com o carnaval foi em 2001 para o lançamento do Camarote Salvador como RP. Na sequência como RP do bloco EVA com o Cantor Saulo em um posicionamento estratégico do bloco e lançamento da carreira do cantor. Também com o Bloco Cheiro com Alinne Rosa e Asa de Águia com Durval Lellys. Daí já segui com os lançamentos, os camarotes Skol e o Planeta Quem.

Como você conseguiu fazer tantos carnavais ao mesmo tempo? Foram aproximadamente 15 anos de contrato todos esses parceiros que viraram uma grande família pra mim. Se eu contar como funciona o carnaval pra desde sempre não vão acreditar ou vão dizer que sou maluca. Porque simultaneamente ao carnaval de Salvador fiz também o carnaval de outros Estados, no primeiro ano que fiz Olinda, estava com três camarotes, três trios e uma feijoada em Salvador. No outro ano se repetiram e ainda dei uma ajuda no de Floripa. Em 2011, pela Vila Isabel fiz todos os ensaios e coroação da Sabrina Sato como rainha da escola que foi uma grande transição por que a escola era muito tradicional e estava buscando uma renovação. Foi um grande desafio com bastante sucesso. Mas mesmo assim, no carnaval apesar de existir um namoro desde 98 para fazer camarotes na Sapucaí, eu não ficava no Rio por que fazia praticamente tudo em Salvador e tinha uma diferença muito grande de remuneração e profissionalismo do Carnaval de Salvador para o Rio.

Até que o cenário nacional de Axé mudou e uma reformulação do Carnaval em Salvador me fez aceitar a proposta de três anos como RP de um camarote que seria lançado na Sapucaí em 2018. Fiz todo o posicionamento de marca e relacionamento artístico e formador de opinião do camarote como RP para criar o conceito de exclusividade que eles queriam, ajudei nas contratações, referências, levei toda a minha expertise e entrei junto com o time muito bacana para fazer virar o camarote Arpoador que hoje é uma super referência de sucesso. Em 2019 eu voltava para o carnaval de Salvador já com o projeto Netflix/Camisa Listrada e em 2020 vivi o carnaval dos carnavais, como Relações Públicas do projeto de reposicionamento de comunicação da cidade de Salvador em todo o Carnaval. Estaria como RP e também produzido um filme por uma das maiores produtoras de cinema do Brasil, a Camisa Listrada para a Netflix. Foram dois trabalhos que me deram muito orgulho de assinar e que trouxeram forte o meu reconhecimento profissional de todos esses anos levando a cultura e música da Bahia para o Brasil e mundo. Essa é uma bandeira que levo comigo onde vou com muito amor. Quem não conhece o carnaval de Salvador, casadx, solteirx, em Família ou amigxs ainda não viveu a experiência mais incrível de carnaval. E se conhecer por mim, com certeza vai ser a melhor experiência de vida de folia, conexão, sucesso e imagem. (risos). 

E como foi para você o carnaval deste ano de 2021? Passando um pouco pela minha história com o carnaval percebo mais fortemente o tamanho do que foi sendo o silêncio de carnaval deste ano. Pra quem tem o carnaval como carro chefe de carreira ou vive o carnaval como folião, sentiu o peso desse silêncio e é inexplicável, incalculável na verdade. O carnaval pra quem curte é o start de um ano feliz e pra quem trabalha, a certeza de um ano produtivo, forte com trabalhos relevantes. O carnaval é a medida do sucesso de todos os profissionais que estão envolvidos com ele direta ou indiretamente, é como se fossem 360 dias de preparação para o grande dia que na verdade são muitos dias de festas, de infinitas possibilidades de oportunidades para quem chega pronto profissionalmente pro carnaval. O backstage carnavalesco é gigante em termos de números, negócios, mídia e oportunidades. Carreiras são consolidadas, testadas e construídas com ou a partir do carnaval em qualquer cidade ou tamanho. Mas em Salvador e no Rio de Janeiro é papo pra uma entrevista completa só sobre a geração dos Carnavais no mundo. (risos) 

Como é ser profissional do entretenimento nesse momento tão difícil no nosso país, Gis? O profissional de entretenimento vive o desafio dessa instabilidade na profissão constantemente, o sucesso de um evento em um dia pode ser o fracasso no outro. Além dos fatores externos, é sempre um grande desafio, mas nada que se tenha vivido no meio nos preparou para uma pandemia com indefinição de tempo e formato de atuação, é devastadora a quantidade de pessoas sem ter como se manter, vai desde os ambulantes, seguranças, técnicos de som, músicos, produtores…, é incalculável a perda e dor pra segmento e pra sociedade. Mesmo consciente disso, até então particularmente pra mim.

E a pandemia Gis? A Pandemia estava num lugar de aprendizado, de construção e oportunidade, apesar das perdas, estava distante de mim com o isolamento vivido, e ao invés de assistir o mundo da pior forma, busquei enxergar como uma grande oportunidade. Há cinco anos vinha me especializando em desenvolvimento pessoal, produtividade e mercado online, fiz a formação em coaching para ter a técnica e ferramentas ao que já aplicava com os artistas e projetos. Mas para entregar além do conhecimento de campo. De certo modo parecia estar preparada para o período de vazio na pandemia. Cortei TV e notícias pesadas e aproveitei para me especializar mais, aprofundar os estudos sobre comportamento e desenvolvimento humano, mercado e MKT digital pra entender para onde o mercado e as pessoas poderiam estar caminhando com tudo isso.

Tenho uma agência de comunicação estratégica a The One Br que presta além do serviço de RP e produção de eventos, tem também o agenciamento artístico, consultoria de imagem, carreiras e novos projetos que conecta por propósitos marcas e eventos com artistas, atletas e influenciadores que desenvolvo há 11 anos como empresária artística e mentoria.   

Você está ansiosa para o próximo carnaval? Estou cheia de projetos incríveis e muitos sonhos, quando tivermos um carnaval com toda certeza faremos dele o melhor de todos os tempos, não vejo a hora disso acontecer e estou me preparando para que seja no mínimo inesquecível pra todos, (risos).

Você acha que vai ter em 2022? Espero muito de coração que sim. Mas estou aprendendo a viver no presente, projetando um futuro claro, mas sem depender do futuro. Sinceramente apesar de desenvolverem a vacina em um tempo recorde, acho que a logística e entrega dela não vai ser tão fácil para um país do tamanho do nosso. Então não sei dizer se sim, nem que não, Mas estou torcendo.

Quem é você na Nova Era Gis? Dizem que a nova Era está sendo um período de muitas mudanças no mundo, onde as barreiras entre as diferenças serão menores, onde haverá uma sociedade colaborativa, mais feminina, empatia, evolutiva… Eu sou uma mulher que sempre viveu dessa forma, na nova era venho fortalecida nas minhas raízes, fé e valores e extremamente aberta ao conhecimento, aprendizado e desenvolvimento na essência. Com uma seleção natural um pouco maior num todo pra vida depois deste período pandêmico, acho que todos nós estaremos muito diferentes do que éramos e quem não teve consciência dessa mudança interna perdeu uma grande oportunidade de evoluir e ser melhor pra si e pra vida.Ter Fé é? Acreditar em si acima de tudo, (não ser egoísta, acreditar e desenvolver a sua essência divina e força pessoal), ser e viver o que Deus nos propôs em terra.

E o amor Gis?  É vida! A base de tudo na vida.

2021 é o ano? Da verdade, do aprendizado, da transformação, da oportunidade de construirmos ou reconstruímos nossas vidas pelo o que realmente somos e importa. Da oportunidade de zerar o game e começar tudo de novo com amor, coragem e com a sabedoria de que não sabemos tudo. Não estamos sozinhos. Tudo pode mudar a qualquer momento, mas de se ter certeza de quem se é e do que queremos viver, e principalmente de que podemos e devemos buscar ou ser ajuda para quem precisa na construção dos nossos sonhos. O ano de uma consciência maior onde toda dor e falta que se viveu vire aprendizado e propulsão para algo maior e melhor pra todos.