Foto Alex Crockford

Reeducação alimentar é a mudança da nossa relação com os alimentos visando nos tornarmos pessoas mais saudáveis e com melhor composição corporal. Sabemos bem a importância da alimentação saudável em nossas vidas. Mas, muitas vezes, não sabemos como dar início a essa nova maneira de viver. Sim, porque diferente do termo “dieta” ou “regime” que tem um prazo para terminar, a reeducação alimentar trabalha em cima da mudança permanente de hábitos para viver de maneira mais equilibrada. Abaixo, listamos dez passos para acontecer essa mudança:

  1. DECIDA COMEÇAR! É preciso realmente tomar a decisão com foco no objetivo final. “O que eu desejo obter: melhorar a minha aparência? Ter mais disposição? Tratar ou prevenir uma doença?” Com essa finalidade bem traçada, agora é preciso ter disciplina e paciência sabendo que será preciso abrir mão de alguns antigos hábitos;
  • INSIRA MAIS ÁGUA. Parece óbvio, mas é onde grande parte das pessoas mais falha. Tomar água é algo essencial em qualquer um dos objetivos (melhorar a saúde, perder peso, ganhar músculos…). Um cálculo simples para saber a quantidade de água que deve ser ingerida diariamente é multiplicar 35ml por quilo de peso corporal. Ou seja: uma pessoa de 80kg (multiplicando por 35) deve ingerir 2.8L de água ao longo do dia, distante das refeições (ao menos 30 minutos antes ou 1 hora após a refeição);
  • MENOS PROCESSADOS E MAIS NATURAIS. Reduza o consumo dos alimentos ultraprocessados e aumente o consumo dos alimentos naturais ou menos processados. Você pode fazer substituições em sua rotina. Alguns possiblidades são: trocar bolachas por uvas, salgadinhos por pipoca de panela, embutidos (como linguiça e presuntos) por carne moída ou ovos, gelatina por salada de frutas, sucos industrializados por água saborizada ou sucos sem açúcar, temperos prontos por temperos naturais (ervas desidratadas);
  • MAIS COR POR FAVOR. Aumente as cores do seu prato! Isso porque quanto mais cores, mais nutrientes haverá na sua refeição. Explore os verdes, amarelos, vermelhos, roxos e brancos;
  • SALADA SIM! Não gosta de comer saladas? Não precisa se forçar a comer um pratão delas. Você pode começar com pequenas porções e montá-las com ingredientes que gosta. Junto aos folhosos e legumes é possível acrescentar: ovos de codorna, azeitonas, tomate seco, castanhas, amêndoas, parmesão, carnes que goste mais… Há também excelentes opções de molhos caseiros com polpas de frutas (maracujá, cajá, acerola, limão, manga…), podendo ou não adicionar iogurte, azeite, pimenta, mostarda, mel, hortelã, manjericão… é só deixar a criatividade aflorar;
  • ATENÇÃO NA HORA DA FEIRA. Evite fazer feira com fome. Geralmente, quando estamos com fome compramos quantidades maiores e alimentos que não precisamos. Do mesmo modo, evite ter em casa aquele biscoitinho ou chocolate que te faz “cair em tentação”. Se não tem no armário ou na geladeira, fica mais fácil evitar;
  • O SEGREDO É PLANEJAR. Um dos grandes sucessos da reeducação alimentar é ter planejamento. A rotina é uma forte aliada. Estabeleça os horários das suas refeições! Se a sua semana é corrida e precisa de praticidade, você pode separar um momento no fim de semana para organizar as porções do almoço e do jantar, armazená-las no congelador e aquecê-las na hora de comer;
  • ACRESCENTE FIBRAS À ALIMENTAÇÃO. Sementes de abóbora torradas, linhaça, chia, gergelim, amêndoas, legumes, vegetais folhosos…são alimentos ricos em fibras que contribuem para a saúde intestinal e aumentam a saciedade, trazendo benefícios ao nosso corpo;
  • TUDO PODE! MAS SEM EXAGERO. Entenda que não há alimento “lixo” ou “proibido”. Esse entendimento gera menos culpa e traz mais leveza ao processo. Tudo diz respeito à frequência e à quantidade do que se come. Por exemplo: comer uma fatia de bolo num aniversário é algo pontual e está tudo bem! O que não está adequado é comer fatias de bolo todos os dias. Isso sim será prejudicial à saúde;

TEMPO E PACIÊNCIA. Tenha em mente que os resultados virão, mas nem sempre na velocidade que desejamos. Eles podem levar tempo mesmo. A ansiedade pode fazer você achar que não está valendo a pena e desistir antes de ver os efeitos. Mantenha-se no foco que, ao longo dos dias, você perceberá mais nitidamente a resposta das suas ações. Praticar exercícios físicos regularmente e cercar-se de pessoas com a mesma busca que a sua são medidas que podem facilitar bastante essa caminhada!