Depois de algumas novelas em Portugal e até trabalhar como apresentador em terra lusitanas, Adriano Toloza está de volta (à nossa capa) e à TV com a volta do seu personagem Igor em “Verdades Secretas 2”. Seis anos depois e muita coisa depois, Adriano encara o desafio numa boa e já se prepara para um novo projeto para o início do ano. De alma lavada e despido de preconceitos, Toloza encerra o ano em grande estilo e já recarrega as baterias para o que vem por aí. Ficaremos de olho e em breve contamos as novidades. Enquanto isso, seguimos de olho nos novos episódios de “VS2” e no nosso bate-papo.

Adriano, como foi voltar para o papel de Igor seis anos depois para Verdades Secretas 2? Foi muito interessante. Nunca tive a experiência de “continuar” uma personagem após o término de uma obra, ainda por cima, seis anos depois. O convite foi uma surpresa. Verdades Secretas foi um marco na teledramaturgia brasileira e foi a primeira vez que a Rede Globo realizou uma segunda temporada de novela. Fiquei muito feliz em saber que o Igor estaria de volta. 

Seu personagem hoje em dia leva uma pacata vida de casal onde o sexo não é mais como antes. Como foi encarar essa nova realidade de Igor? Foi muito interessante ler a sinopse e os primeiros capítulos. Acredito que como eu, outros atores se surpreenderam ao se deparar com algo totalmente diferente do que estavam à espera. Eu, quando fui convidado para participar da segunda temporada, tinha imaginado um outro futuro para o Igor. Imaginei que ele estaria casado com a Pia, e que teriam um filho, até ai acertei. Mas não tinha ideia que estariam passando por situações que estão escritas no texto. Mas tudo faz sentido. Mudou muita coisa. Nós mudamos como atores. Envelhecemos 6 anos. A trama mudou, o mundo mudou.

Tanto na 1ª fase, digamos assim, como nessa, a novela é bem sexy, com muitas cenas de nudez e sexo. Como encarou isso?  Encaro numa boa. O erotismo e a sensualidade são como um pano de fundo da série, e estamos protegidos pela direção, com uma estética belíssima e uma fotografia espetacular. Porém o Igor está mais calmo nesta temporada, na primeira estava mais à flor pele, (risos). 

Algum tabu na hora de atuar? Nenhum. Não tenho pudor com meu corpo em cena. Já participei de peça de Teatro em que ficava nu frontal e levei numa boa. Acredito que faz parte do trabalho do artista este despudor com o corpo, quando há um sentido na obra, claro. 

Qual o maior barato em atuar? Como se preparar para um novo personagem? Amo atuar. Sempre amei. O maior barato, pra mim, é você se entregar de corpo e alma a uma vida cujas circunstâncias não te causarão nenhum prejuízo, nenhuma responsabilidade e nenhuma cobrança no fim das contas. Podemos ser tudo, trabalhamos nossas potências arquetípicas e abraçamos a realidade da ficção como se fosse nossa. E isso, de alguma maneira, amplia nossa visão do ser humano, é enriquecedor. Tanto o fato de nos colocarmos no lugar do outro, como sermos um espelho para o público se reconhecer em nós. 

Falando em desafios, em 2016 você foi para Portugal fazer novela e terminou participando da vencedora do Emmy Ouro Verde, da emissora TVI. Como foi a experiência? Ir para Portugal atuar na novela Ouro Verde uma experiência incrível. A novela foi um sucesso! Foi um prazer enorme trabalhar com a talentosíssima autora Maria Joao Costa, e ainda ganhar o Emmy. Gostei tanto da experiência que acabei morando em Portugal por mais quatro anos.

Na sequência vieram mais duas novelas e você estreou como apresentador. Como foi apresentar um programa de TV em outro país? Como sentiu a aceitação do público português? As outras duas novelas também foram incríveis, meus papéis eram muito polêmicos, (risos). Estrear como apresentador foi uma experiência muito boa, nunca tinha imaginado isso na minha carreira, como nunca tinha imaginado fazer carreira internacional. Só tenho a agradecer. O público português me recebeu com todo o carinho do mundo. 

Como foi a experiência em terras lusitanas? O que ficou de mais legal? Voltaria para lá? A experiência em Portugal foi sensacional. Quatro anos incríveis na minha vida. Não apenas pelo fato de ter atuado em três novelas lá, mas por conta da relação com os portugueses, a qualidade de vida –  foi tudo muito bom. Amo aquele país, as pessoas, os lugares, a cultura, a comida…Vou voltar em breve sim, com certeza.

E como foi fazer sucesso no Irã? (!!!) Isso graças ao filme Texas 2. Que em breve terá uma nova sequência. É isso mesmo? Conta um pouco. O Irã foi outra experiência incrível na minha vida. Fiz dois longas metragens lá e os dois foram uns dos maiores sucessos de bilheteria no país, Texas 1 e Texas 2. Foi uma surpresa muito boa me deparar com aquela cultura. Fiquei surpreendido com tudo, principalmente com a gentileza das pessoas, e a sensibilidade e inteligência artística que eles possuem; além da beleza natural do País e a excelente gastronomia. Iríamos filmar a terceira parte da trilogia Texas 3, também em Tehran, no ano passado. Mas por conta da pandemia, o projeto foi adiado para o ano que vem. 

E falando em cinema… Roupa Velha Colorida, quando chega e como será o Jucá? Velha Roupa Colorida, vai ser distribuído pela O2 Play, em 2022, para streaming e TV. O Jucá foi uma personagem muito interessante. Tive que entrar em contato, em conta da dramaturgia, com uma doença terminal. Foi muito sofrido e enriquecedor ao mesmo tempo. Este ano, em Paralelo à novela, filmei também o longa-metragem sobre vida do Eike Batista, que estreia ano que vem. Os dois personagens foram muito intensos, porrada no estômago! 

TV, cinema… e quer relaxar, o que faz sua cabeça? Amo viajar. Curtir a natureza, animais, praia, cachoeiras, mato, neve… Amo ler e ver séries. 

O que curte ler, ver e ouvir nas horas vagas? Gosto muito de literatura brasileira, inglesa e Russa. Gosto de ler sobre Filosofia, Ciências Herméticas, Tarot, Astrologia, peças de Teatro e quadrinhos. Como estou aprendendo a língua do Irã no momentoa estou lendo muitos textos em Persa. Gosto muito de ver séries, cinema e Teatro. Meu gosto musical é bem eclético. Depende do momento. Gosto muito de MPB, Rock, reagge e música clássica. 

Você completou 38 anos. O que a maturidade tem te trazido de bom? A maturidade me trouxe muita coisa. Principalmente Gratidão, amor próprio, amor ao próximo, e vontade de viver. 

Você já foi nossa capa em 2014 e 2015. De lá pra cá, muita coisa aconteceu. Quem é o Adriano Toloza hoje e como se vê daqui pra frente? Sou bem diferente de 2014…Graças a Deus né? (risos) Me vejo mais maduro sim, mais feliz, mais seguro. Daqui pra frente, quero continuar minha trajetória, a batalha de me tornar, cada vez mais, um Artista, e um melhor Ser Humano. 

Adriano, pra encerrar… e na hora de relaxar o que você curte? Onde recarrega as baterias? Gosto muito de ir para um sítio da minha família em São Francisco Xavier, Serra da Mantiqueira, interior de São Paulo. Um lugar lindo, com cachoeiras lindas. Adoro o contato com a natureza. Amo praia…principalmente algumas da Bahia e de Portugal. Para recarregar as baterias, também gosto muito de ir para neve, fazer snowboarding, quando posso. 

E planos para o próximo ano? Algum que possa compartilhar? Tenho muitos!! (risos) De concreto, fui convidado para atuar em um projeto maravilhoso na televisão, muito, mas muito polêmico, e bonito também. Infelizmente ainda não tenho permissão pra divulga-lo. Em breve!!

Fotos Sergio Santoian

Stylist Rodrigo Grunfeld

Adriano usou anel Amistá for Men (acervo próprio)

Agradecimentos 7 For All Mankind, John John, All Saints e Dolce & Gabbana