Uma mulher solar. É o que podemos dizer da nossa estrela Maria Joana, que depois de 5 anos está de volta a nossa capa. De volta também à TV, com a reprise de “Flor do Caribe”, onde interpreta a positiva Carol. Em breve também estará de volta à TV com um novo trabalho, um novo desafio com uma trama religiosa, “Gênesis”. “Eu sempre tive muita vontade de fazer um trabalho assim, confesso que estou muitoooo empolgada!”, comentou a bela durante a entrevista para a MENSCH. Enquanto isso vamos curtindo Maria Joana por aqui, cheia de energia, linda e divertida como sempre.

Para começar, sete anos depois você volta à TV com sua Carol em “Flor do Caribe. Que lembranças guarda desse trabalho? Adorei o “sua Carol”.  Eu estou muito feliz com essa volta. Não só uma oportunidade de rever um trabalho meu, mas rever minha segunda novela, do autor Walther Negrão, por quem eu tenho um enorme carinho e gratidão. Fiz grandes amigos nessa novela e aprendi muito com toda equipe do Jayme Monjardim. Sem dúvidas foi uma experiência incrível de aprendizado e evolução. E eu estava novinha!!! Maria Carolina é uma personagem solar e amorosa, é muito gostoso interpretar personagens leves assim. 

Soubemos que você teve que perder o sotaque carioca para interpretar Carol, que é paulista. Foi muito trabalho? Seguiu aplicando isso em outros trabalhos? Acha que um ator sem sotaque forte tem mais chances de pegar papéis variados? Ótima pergunta essa. Sim, fiz durante a novela um trabalho com a Verônica Machado, uma fonoaudióloga maravilhosa! Foi fundamental! Acho importante termos esse recurso. É muito bom pro ator se manter num ponto neutro e conseguir permear por diversas áreas. 

Falando em personagens e sotaques, como está a composição para viver a Enlila em “Gênesis”? Por ser uma história bíblica o desafio é maior? Acho que o desafio não é só por ser uma novela bíblica, mas por se passar 200 A.C. Nossas referência hoje em dia são muito diferentes. Pra fazer essa novela foram feitas muitas pesquisas pra tentar se aproximar de como era naquela época. Eu sempre tive muita vontade de fazer um trabalho assim, confesso que estou muitoooo empolgada!

O que te desafia mais no trabalho como atriz? Acho que tudo. Talvez pode parecer fácil o trabalho de atriz, mas encaro de uma maneira diferente. Pra mim o trabalho do ator vai além de interpretar e entreter, gosto de cada vez mais conhecer e estudar sobre o ser humano, sobre o comportamento do ser humano. Eu como atriz me vejo vivendo outras vidas além da minha e isso me possibilita conhecer mais sobre o mundo e sobre as pessoas. Acho que o desafio maior é saber dividir o que é seu e o que é trabalho. É uma linha muito tênue, é importante saber voltar ao neutro todo fim de gravação. 

Por falar em desafios, qual foi maior, se aventurar na cozinha do “Super Chef Celebridade” ou no “Dança dos Famosos”? Nossa, acho que os dois! Não tem como medir. Pra mim é muito difícil qualquer tipo de competição, eu não gosto. E pode até parecer estranho vindo de uma pessoa que já participou de 4. Já dividi isso outra vezes, mas topei participar por ser uma oportunidade de trabalho, eu precisava trabalhar. Os programas já me encantavam, eu queria muito fazer o dança e o Super Chef, mas a possibilidade de estar trabalhando, era o meu foco principal. 

Em matéria de cozinha ano passado você participou como apresentadora do “Mestre do Sabor” ao lado de Claude e Batista. Já tinha apresentado um programa desse porte? E como foi a experiência? FOI MARAVILHOSA!!! Foi a primeira vez apresentando um programa, ao vivo e foi muito especial! Tinha uma equipe maravilhosa, uma direção incrível o que me deixou muito a vontade e segura. Aprendi muito!! Amei estar ao lado do Claude e do Batista, eles são demais!! Eu estou morrendo de saudade deles e de aprender tanto! 

Essa quarentena serviu para você aprimorar os dotes culinários (ou algum outro)? Como usou esse tempo em casa? Acho que acabei ganhando mais tempo em casa né? Então tenho mais tempo as vezes pra elaborar. Mas vou confessar, não sei se isso aconteceu com mais alguém, mas eu fiquei um pouco cansada de cozinhar e comer minha própria comida, então me peguei reinventando. Criando coisas diferentes sabe? Isso achei muito legal! 

Aliás, como lidou com isolamento social e quarentena? O que foi mais difícil e o que tirou de lição? Procuro sempre tirar o melhor que eu puder de todas as situações. Tenho desde o início da quarentena tentado resignificar, transformar em bom tudo o que eu puder dessa situação toda. É nisso que tenho focado. 

E como está sendo esse retorno à rotina (de trabalho e pessoal)? Confesso que ainda é estranho, é uma situação nova, precisamos nos habituar com um novo comportamento. Confesso que até me acostumei em ficar mais em casa. Acho que não foi por acaso que tive essa impressão. Precisava mesmo ficar e curtir mais minha casa, meu lar. Acho que fiquei mais caseira. 

Você sempre teve o corpo em ótima forma. Foi difícil manter nessa quarentena? Qual a dica? Sempre temos essa questão do corpo né? Sempre é um pergunta feita nas entrevistas, eu tenho tentado pensar de que maneira responder e tentar quebrar esse tabu. Ao mesmo tempo que tento quebrar certos padrões me vejo apegada neles. Minha preocupação com o corpo sempre foi pensando nele como também um objeto de trabalho. Meu corpo me ajuda muito na criação dos meus personagens, então eu deixo meu corpo a serviço muitas vezes. Mas existe um mercado de trabalho de publicidade e também uma cobrança de nós mesmo, pra estarmos magras e com corpos estruturais. A gente fala sobre quebrar esses tabus, mas nós mesmos estamos dentro deles. Então sim, tentei cuidar do meu corpo mantendo exercício diário. Ou quase diário… (risos) Minha alimentação é boa, as vezes como coisas que não fazem tão bem, mas hoje tenho mais consciência do quê e de que maneira quero alimentar o meu corpo. 

É muito vaidosa? Até que ponto? Do que não abre mão? Bom, segundo o dicionário, vaidosa é uma pessoa presunçosa, que tem uma preocupação excessiva em suas habilidades ou atratividades para os outros. Seguindo esse raciocínio não… (risos) Acho que já me importei mais em me mostrar para os outros, hoje me preocupo em ser eu, em ser o melhor que posso ser. 

Sempre muito discreta você está num namoro que já dura 7 ou 8 anos. Algum segredo para um relacionamento tranquilo e duradouro? São 12!!! (risos) Primeiro de tudo acho que quando é pra ser, é! Muitas vezes não adianta tentarmos quando não é pra ser sabe? Acho que não existe segredo, existe querer de ambas as partes. Tem que ser mútuo. Relação é a dois, não basta só um querer, só um amar, só um mudar, só um tentar… Pra mim a genialidade está nas diferenças, no aprendizado do efeito espelho. Aprender com o outro, construir, somar… 1 + 1 = infinito. Mas é preciso da soma, senão fica apenas um número solitário. 

Que características masculinas te atrai/encanta? O que não combina com você? Posso falar do ser humano? Sobre o que me encanta no ser humano? Por que pra mim, mesmo sendo heterossexual o que me encanta primeiro são características como ser humano. Gosto de pessoas boas, de coração bom. Que se emocionam com coisas simples, que comemoram no pôr do sol, que saem da praia depois de um dia de surf e sol gratos, que olham pra lua e façam pedidos. Que me respeitem e me encorajam a ser melhor. Acho que o que mais me encanta num ser humano é poder ser quem eu quiser sabendo que essa pessoa estará ao meu lado sem já ter opinião pré-formada, que não julgue, mas que pegue na mão e mostre o caminho. Que veja a vida de uma forma positiva e que seja grato por ela! 

Você passa a ideia de ser muito de natureza e mar. É isso mesmo? Como isso te completa e inspira? Viemos da natureza, pra mim é isso. Nos alimentamos através dela, pra mim ela é a nossa mãe. Me deixa muito triste ver o ser humano estragando e esquecendo de que precisamos dela pra viver. A sensação que tenho é que esquecemos da onde viemos… Eu sou dessas que acorda e agradece ao sol, que olha para as árvores e sente paz. Hoje vejo a quantidade de lixo que estamos entupindo nosso solo, o mesmo que produz nossos alimentos. Fico triste de fazer parte disso. Não temos a consciência pra onde esse lixo vai, mas olha que ironia; nós somos seres de consciência, mas no entanto as vezes escolhemos não enxergar. 

Qual seu maior pecado? Eita!! Difícil… (risos) pecado pra quem? 

O que podemos esperar para os próximos meses? Durante essa quarentena comecei vários projetos novos, nesses últimos anos aprendi muito sobre mim mesma e sobre o que gostaria de deixar nesse mundo. Gosto muito de aprender sobre a vida, sobre o ser humano e todos esses novos projetos estão fazendo parte de toda essa transformação, dessa nova Maria Joana.

Fotos Guilherme Lima (@guilhermelima)

Styling Samantha Szczerb (@samantha_szczerb)

Beleza Lucas Luz (@lucasbeauty_)

Maria Joana veste: By Segheto, 613, Metally e Ley Swimwear

Agradecimento: Hotel nacional RJ