Nossa musa é uma bela gaúcha que vive pelo mundo desfilando sua beleza. Modelo profissional, iniciou sua carreira aos 13 anos meio que como uma brincadeira e ao longo dos anos Marthina Brandt tem construído uma trajetória brilhante, que já lhe permitiu ir a países como Alemanha, Itália, Turquia, Chile, Argentina, Espanha. Sem falar que Marthina já estrelou para diversas marcas em campanhas fotográficas e editoriais, como Colcci, MOB, Glória Coelho, Tufi Duek, Fórum, Carlos Miele, Coca Cola, Cavalera, entre outras. Em seu currículo, Marthina soma vitórias e indicações em diversos concursos, não só pela sua beleza, mas também pela desenvoltura, personalidade marcante e simpatia – como o Miss Brasil, Miss Rio Grande do Sul, entre outros. E agora está aqui na MENSCH em um ensaio exclusivo para esquentar ainda mais nosso verão.

Você já viajou meio mundo trabalhando como modelo. Quais as maiores lembranças de tudo isso? Essas viagens sempre foram muito importantes para mim. Com elas, posso dizer que amadureci e me conheci melhor. Ficava um longo período longe da família e amigos, então precisei amadurecer na marra. Lembro muito dos perrengues e de como eu me sentia feliz e grata por estar tendo a oportunidade de conhecer tantos lugares, fazendo o que amo. Fiz muitos amigos nessa época e a maioria é presente até hoje!

Se imagina fazendo outra coisa? Algum projeto fora da carreira de modelo? Sim, estou estruturando uma empresa na área de saúde e beleza, mas ainda não posso dar mais detalhes. O que posso falar é que estou muito feliz! Empreender é algo que sempre fez meu olho brilhar!

Muita gente acha que vida de modelo é só glamour. O que é mais difícil nessa profissão? Horas de viagem, estar sempre em lugares diferentes, descansar pouco e ficar longe da família. Pra mim, essas são as maiores dificuldades. Às vezes, estou voando de madrugada de volta pra São Paulo, e no dia seguinte já tenho ensaio fotográfico ou reuniões de trabalho. Só tenho tempo de passar em casa para tomar banho e largar a mala. Acho esse desgaste complicado, mas também agradeço por ter trabalho e estar com a agenda cheia. Sempre é melhor assim (risos).

Em 2015 foi foi eleita Miss Brasil. A beleza alguma vez foi um fardo? A cobrança é maior de alguma forma? Eu acredito que beleza é complementar. É claro que participando de um concurso de beleza você precisa ter ou estar perto de um padrão, porém isso nunca me assustou ou me gerou mais cobrança. Acredito que a cobrança é mais externa do que interna, mas nunca me atingiu de forma significativa. Muitas pessoas procuram uma beleza que, na minha opinião, não existe. Jamais serei escrava da perfeição!

Na hora da paquera o quanto a imagem é importante para você? O que te atrai? A imagem é importante no primeiro momento, para chamar a atenção, mas uma boa conversa é o que prende mais essa atenção. Prefiro um homem inteligente do que só bonito!

Como é seu nível de vaidade? Como é no dia a dia, muito vaidosa? Quando saio para eventos ou festas, procuro sempre estar bem vestida e arrumada. Mas nos meus momentos de lazer, adoro uma bermuda, t-shirt e Havaianas nos pés. Adoro ficar sem maquiagem. A única coisa que não abro mão é de mãos e pés feitos. Gosto de estar sempre com uma cor clarinha nas unhas.

E nos homens, até onde é legal ser vaidoso? Curte caras vaidosos? Para mim, o exagero acontece quando o homem passa mais tempo no espelho do que eu (risos). Mas acho importante se cuidar. A pessoa estando de bem com ela mesma é o que importa!

Como cuida do corpo? Faço academia pelo menos 3 vezes por semana, alternando com luta e funcional. Não dispenso drenagem corporal de jeito nenhum. Como pego muito voo e fico muito tempo em pé nos trabalhos, retenho muito líquido. Então, tento drenar de duas a três vezes por semana.

Como seria uma noite perfeita? Ao lado de pessoas especiais na minha vida, como amigos, família ou meu namorado. Estando com eles, a noite já é perfeita.

É do tipo de mulher que toma atitude em relação a uma conquista ou não abre mão de ser conquistada? Sempre gostei de ser conquistada, embora eu acredite que quem dá o start sempre é a mulher. Um dia um amigo me disse o seguinte: “a mulher que joga o lencinho o homem só pega”. Acabei concordando com ele (risos).

Onde é mais fácil te encontrar, numa balada à noite, na praia com os amigos ou passeios mais culturais? Balada é a última opção. Gosto de sair, mas saio muito pouco. Às vezes passo três meses sem ir a bares ou baladas. Prefiro sair para jantar, viajar ou assistir séries!