Nosso homem da capa, Jonathan Azevedo já virou nosso guru quando o assunto é relações humanas e respeito mútuo. De volta aos estúdios para gravar “Verdades Secretas 2” e de volta a MENSCH, nosso querido Jonathan nos brinda com mais uma ótima entrevista e capa marcante. Sempre atento às causas humanitárias e ativo no combate à desigualdade, Jonathan em meio a pandemia não parou desde nosso papo ano passado. “Eu fico pensando muito em qual legado eu posso deixar para estas crianças e adolescentes”, declarou nosso homem da capa ao longo desta entrevista. E enquanto “Verdades Secretas 2” não estreia, vamos matar saudades de Jonathan por aqui. Até a próxima! E sempre tem uma próxima com esse cara.

Jonathan, no nosso último papo ano passado estávamos no meio da pandemia. E agora, pleno maio, ainda estamos! Mas a vida tem que seguir. Como tem sido sua vida ao longo desses meses tendo (assim como todos nós) conviver com isso? Primeiramente, obrigado por mais uma oportunidade. E como está sendo tudo isto para mim? É aquela questão, é preciso renovar a cada dia, aprendendo cada vez mais. Neste momento histórico que estamos vivendo, eu fico pensando muito em qual legado eu posso deixar para estas crianças e adolescentes. Eu sempre gosto de trabalhar com a autoestima de procurar por ela e dividi-la. No primeiro momento em que conversamos, eu estava muito focado em tentar levar alimento, estrutura para nossas comunidades. Hoje, continuamos na nossa pegada de querer uma estrutura para cada família, mas também junto com a cesta básica ou qualquer outra coisa, nós levamos também autoestima.

Você acha importante os artistas e pessoas públicas darem o exemplo? Ou cada um é cada um e segue o bonde? Como é isso pra você? Eu penso que cada um tem que ter a sua reflexão. Então eu não sei o que é um exemplo para os outros … na verdade, eu sei o que são exemplos para mim e o que eu quero levar. Eu não quero só levar um exemplo e sim uma troca. Eu acho que trocando nós recebemos mais do que só focar no exemplo. Então eu procuro sempre levar meu coração aberto para trocar e aprender.

O quanto você se sente mais responsável hoje em dia depois da fama? Eu tenho de certa forma que me cuidar como sempre me cuidei. Mas o que eu mais gosto disso é alcançar pessoas com a minha vivência. Então trocar vivência para mim é o maior barato da fama. 

E falando em fama, o que ela te trouxe de bom e digamos, ruim? De bom foi poder realizar os sonhos da minha mãe e do meu filho o que é maravilhoso. E de ruim, eu acho que até as coisas ruins ajudam a gente a crescer, então críticas, julgamentos acabam ajudando para a minha evolução também.

Uma coisa que percebemos ao longo da sua trajetória foi que essa exposição por conta do seu trabalho como ator deu fala (e rosto) para pessoas que vivem a realidade que você viveu. Concorda? E o que fazer com essa fala? Essa fala é a fala das possibilidades né!? Eu fui um jovem com muito poucas possibilidades de crescer. Eu não quero dizer que todos os jovens têm de criar suas possibilidades, na verdade, eu trabalho para que essas possibilidades possam chegar. Se precisar quebrar parede, subir muralha, estamos aí. 

Recentemente no BBB 21 vimos negros (não todos) querendo criar um complô contra brancos ou mesmo contra outros negros (como no caso de Lucas). Podemos dizer que para o opressor que se sente no comando irá oprimir independentemente de cor? Como você vê isso? Divergências são normais, nós negros também temos as nossas divergências. Não pensamos igual, não somos iguais, cada um é uma pessoa e pensa do seu jeito. E tudo isso foi uma bela de uma reflexão, pra quando a população olhar para uma pessoa seja ela negra, branca, trans, gay, o importante é respeitar o ser. Por que respeitando o próximo o mundo vai pra frente. 

Poderíamos dizer que o poder e não capacidade de tê-lo em mão é o mais nocivo nisso tudo? Tudo é questão de equilíbrio. Equilíbrio na hora de receber e de se doar.

Ao final percebemos que estamos vivendo tempos confusos onde as ideologias ficaram de lado e o que importa é gritar mais alto e apontar o dedo. É falta de mais amor? Eu acho que não é só falta de amor. Falta de compreensão, contato com o outro com a empatia. Eu acho que o conhecimento e a sabedoria está na troca, na troca da minha história com a sua. Tem uma frase que sempre falo na minha comunidade “A sua história só vai ser triste, enquanto você não escutar a do outro”.

Você sempre se mostrou um cara cheio de gratidão, amor com as pessoas e sorriso no rosto. De onde vem tudo isso? Eu acho que não é só falta de amor. Falta de compreensão, contato com o outro com a empatia. Eu acho que o conhecimento e a sabedoria está na troca, na troca da minha história com a sua. Tem uma frase que sempre falo na minha comunidade “A sua história só vai ser triste, enquanto você não escutar a do outro”.

Seu filho tem apenas 1 anos, mas o que espera passar para ele? Que valores deseja cultivar? Matheus Gabriel, só quero passar pra ele que a humildade que faz mover. É isso que eu quero levar pra ele.

E que medos te afligem em relação ao mundo que seu filho terá aos 15 anos, por exemplo? O único medo que eu tenho é de não preparar ele bem, para viver este mundo. Porque depois que ele estiver preparado, ele vai viver e saber lidar com cada questão que se apresentar. Então é só questão de tempo.

Como é o Jonathan cidadão. O que tem pregado e feito? O Jonathan cidadão prega sempre a possibilidade de educação, de estudo. É isso que eu levo comigo onde eu passo. Se eu puder aprender alguma coisa com a pessoa que encontro ao meu lado, com as crianças da comunidade, com rapaz que está dirigindo o carro me conduzindo pra gravação, na van que pego, moto táxi. Eu sempre sei que eles sempre têm alguma coisa para me ensinar ou trocar, e este é o Jonathan cidadão.

Ser uma pessoa com olhos abertos para a realidade das coisas tem um lado positivo e outro que pesa mais. Como você sente isso? Eu sinto isso como uma forma de melhorar a minha paciência, melhorar a minha gratidão e de ser uma pessoa melhor. Porque eu acho que as dores de hoje não vão ser as mesmas de amanhã, elas estão em constante mutação. Então a solução para elas é a forma que eu vou me encontrar amanhã. Penso no hoje, trabalho no hoje para poder chegar e ter o amanhã melhor.

E para relaxar disso tudo, qual seu refúgio? O que te traz paz? Meu refúgio é meu filho, minha lage, minha família, meu trabalho, minha arte. Esses lugares são meus refúgios.

Recentemente você mudou seu visual para estrear em “Verdades Secretas 2”. O que podemos esperar desse novo trabalho? O que pode adiantar desse novo personagem? Muito louco trocar o visual, mas também estou muito feliz! Eu amava muito meus dreads mas também estou muito feliz com este corte novo, com esta oportunidade incrível que a Globo está me dando. Vocês podem esperar muita coisa boa, porque a dramaturgia é de Walcyr Carrasco e a direção Amora Mautner, então é qualidade da qualidade, é outro patamar. E eu estou muito feliz de estar neste time, a oportunidade de fazer um detetive. Ele vai ter muitas coisas que o Jonathan traz dentro da sua pessoa, um lado intelectual, pensador, lado curioso que quer descobrir o universo. Ainda tenho como parceiro de cena o meu irmão Rômulo Estrela que está me ajudando muito, só felicidade. Então espera que o Brasil vai ver um novo Jonathan Azevedo.

Conta pra gente uma verdade secreta sobre você… Uma verdade secreta sobre mim… não sou tão bem-humorado quando eu acordo.

E para ler, ver e ouvir, alguma dica atual? Para ler “Um Defeito de Cor” da Ana Maria Gonçalves, para ver “Verdades Secretas”, para ouvir mestre Djonga.

Para conquistar Jonathan basta… Ser sincero.

Fotos Cláudio Carpi 

Edição de moda Ale Duprat 

Produção de moda Kadu Nunnes 

Retouch e Making of Fosca World

Assessoria @jukreisassessoria

Jonathan veste: Look capa: blazer e Camisa Eduardo Guinle e joias Lara Mader joias para Joya Ipanema; Look1: Blazer Eduardo Guinle, camisa e calça com transparência Animale, joias Lara Mader Joias para Joya Ipanema, bota Ellus; Look 2: Blazer Versace, camisa Versace, joias Lara Mader Joias para Joya Ipanema, calça Eva, bota Melissa; Look 3: blazer Boss, joias Lara Mader Joias para Joya Ipanema, calça Animale, chuteiras Nike para Pop Uo Brands