Por Sandra Sampaio

Se é crime de internet, atitude arbitrária por parte de alguma plataforma ou mesmo uma fake news abusiva, Newton Dias é um dos advogados mais requisitados do país quando se trata de crimes digitais. Nascido em Salvador, tem 40 anos e já está há dez anos atuando na área do direito digital no Brasil. Conhecido também por sua atuação no meio das celebridades, tais como Antônia Fontenelle, David Brazil, Viviane Araújo e Alex Atala, já defendeu diversos famosos e anônimos que sofreram com esse tipo de crime. O bonitão ai da foto, com porte atlético e bem sucedido, é nosso destaque de capa e contou para a MENSCH um pouco da sua trajetória. Como Newton Dias (@newtonfdf) se tornou uma peça fundamental para o direito digital no Brasil? É o que todos queremos saber! 

A internet foi por muito tempo considerado terra sem lei, isso continua assim? É um mito. Hoje temos ferramentas concretas e instrumentos legais que “quebram” esta teoria. A divulgação de nossas conquistas inclusive contribuíram muito para a quebra deste paradigma.

Você é um profissional que sempre foi conhecido em Salvador, porém, agora ficou sendo conhecido em todo país por conta justamente da internet. A que você atribui todo esse sucesso? A um trabalho duro, uma constante vontade de evoluir e aprofundar os estudos sobre a matéria. O reconhecimento é resultado de anos dedicados a este tema.

Muitas celebridades procuram você para resolver crimes de internet. Você pode citar alguns? Advoguei pra muitos famosos. Obviamente por questões éticas só posso falar daqueles que publicizaram o fato. Aí temos Antônia Fontenelle, David Brazil, Carla Perez, Xanddy, Viviane Araújo, Juju Salimeni, Luiz Bacci, Alex Atala e por aí vai.

Tem alguma média de ganhos? De 10 processos quantos você já ganhou? Sim. Normalmente ganhamos 90% dos nossos casos.

É o número bem elevado, a que você atribui todo esse sucesso? Costumo dizer que mais que um advogado eu sou um solucionador de conflitos! Busco as soluções não apenas nos autos. Às vezes o direito é ganho por estratégia, não por petição!

Já sofreu alguma ameaça por conta dos ganhos de processo? Obviamente quando você atinge “os grandes” a cultura do medo ainda norteia no nosso medo. Mas meu maior receio é de não fazer o que é justo.

Um dos últimos casos recentes que ficou bastante conhecido foi a conta do Instagram da Antônia Fontenele derrubada. Ficamos impressionados como foi rápida a recuperação. O que você pode passar sobre esse processo em questão para os leitores da MENSCH? Existe uma sensação de que algumas plataformas como o Instagram podem tudo. Não existe isso! Qualquer atitude arbitrária é passível de reparação jurídica! E no caso foi justamente o que aconteceu.

Você é um advogado diferenciado, pelo fato que acolher bem os clientes. Você acha que faltava isso? Eu acho que conquistei este privilégio. Hoje posso me dar este “luxo” de escolher a causa que quero pegar, mas entendo que isso veio da meritocracia de anos de trabalho e conquistas.

Newton, você foi diagnosticado com a síndrome de Burnot. Quando isso aconteceu? Já faz algum tempo. Apenas resolvi publicizar recentemente. Sou humano, antes do “super advogado” idealizado existe uma pessoa comum. Antes da minha carteira da OAB eu tirei meu RG.

Você realmente não para, além do seu trabalho de advogado que ocupa quase que 100% do seu dia a gente nota que é adepto a práticas esportivas. Trabalhar no direito digital é muito desgastante. Um crime de internet que destrói vida em segundos não tem dia, nem hora pra acontecer. O esporte me ajuda muito, é uma válvula de escape para essa rotina desgastante.

Andei pesquisando e descobri que você é considerado um dos advogados mais sexy. Isso te envaidece, te incomoda? Como é sua relação com esse “posto”? Sou? (risos). Obviamente envaidece. Lido da melhor maneira possível, quem não gosta de ser elogiado? 

Como é o Newton família? Um cara extremamente tranquilo e simples! Minha família é meu maior patrimônio!

Sua paixão por motos e carros é bem explícita nas redes sociais. De onde veio essa paixão? De criança. É outro momento em que a mente fica “vazia” onde posso me conectar com o espaço e o espírito.

Quais países já visitou? Tem algum especial que queira voltar e qual o próximo destino? Muitos. Mas com certeza minha aposentadoria vai ser num bangalô nas Maldivas.

Ter e ser, quais as escolhas? Ter o equilíbrio e inteligência emocional. E ser a melhor versão de mim mesmo.

E essa Pandemia heim? Alguma aprendizado? Tempo demais. Estamos vivendo um momento onde tudo é maximizado. A sanidade mental, inclusive, tem que ser mais debatida pois estamos vivendo períodos de exaurimento psicológico.

Newton, deixe uma mensagem aos leitores da MENSCH. Primeiro agradecer o convite e segundo dizer. “Faça o certo sem esperar o resultado. O certo é o meio, não o fim!”

Fotos Nando Filho / Styling Leila Ama