Com essa gata aqui é verão o tempo todo. Verão com “V” maiúsculo! Afinal esse terminou sendo o segundo nome que Aline Riscado conquistou em sua trajetória. Carioca, 32 anos, surgiu no corpo de ballet do “Domingão do Faustão” e alçou voos mais altos. De participações como atriz, rainha de bateria ou a consagrada garota-propaganda da cerveja. Aline por onda passa deixa sua marca de disciplina que aprendeu com o ballet clássico, “Minha mãe me botou aos 3 anos de idade e nunca mais sai até enjoar de toda aquela disciplina aos 15 anos”, comenta ela durante entrevista para a MENSCH. Para esse ensaio exclusivo, claro, clima gostoso de praia num final da tarde em fevereiro, antes de cair no samba, e bem à vontade como ela gosta. E nós amamos. É puro verão em plano outono aqui na MENSCH para vocês.

Esse seu ensaio está bem verão, o que combina muito com você. O que mais curte faz a sua cabeça nessa época? Eu AMO estar em contato com a natureza! Praia, trilhas, curtir com os amigos, sair para dançar.

A “personagem” Verão ficou popular e virou seu “segundo nome”. Esperava esse sucesso todo quando assinou contrato com a marca de cerveja? Sempre apostei muito no projeto e personagem desde quando fui convidada. Mas com certeza não tinha noção de quão popular e querida a Verão se tornaria! É engraçado por que alguns amigos me chamam de Verão, realmente foi uma espécie de segundo batismo na minha vida e sou muito grata!

De bailarina no Faustão a atriz. Como avalia sua trajetória? Tenho muito orgulho em olhar pra trás e ver tudo o que vivi do ballet do Faustão (onde iniciei uma vida artística pública na TV) até hoje! Sempre com muita dedicação, disciplina e o principal: amor! Eu não entro em projeto nenhum se não for pra ser de cabeça e alma! Sempre foi assim com tudo na minha vida! Depois que sai do Domingão tive experiências incríveis como repórter (no CQC), apresentadora de um quadro escrito por mim no “Pânico”, teatro, cinema, séries, participação em uma novela, cantei já com três cantores que sempre fui fã dos comerciais da cervejaria, já fui e agora voltei a ser rainha de bateria de escola de samba (hoje na Unidos de Vila Isabel). Sou muito grata a todas as oportunidades e me sinto muito feliz e realizada por cada passo profissional que dou!

No fundo o balé e a dança foram sua grande plataforma para sua realização profissional. Como avalia isso? Disciplina, consciência e expressão corporal, sensibilidade, alongamento, profissionalismo, tudo isso graças ao ballet clássico.

Quando e como o balé surgiu na sua vida? Minha mãe me botou aos 3 anos de idade e nunca mais sai até enjoar de toda aquela disciplina aos 15 anos.

Qual o grau de importância em um homem saber dançar? A dança é pra todos! Quem dança é mais feliz e livre! É uma terapia. Todos deviam se permite dançar e liberar todas as tensões, preocupações… Eu AMO quando um homem se permite dançar sem medo de ser feliz!

 

Foto Márcio Farias

Beleza Teodoro Jr

Styling Paulo Zelenka

Iluminação Mariana Salles

Tratamento de imagens Pedro Fonseca

Vídeo Rossini Moraes

Assista making of: