Ao que tudo indica, Ariane Rocha terá um ano movimento em 2021. Com participação no musical “Evoé”, com estreia prevista para o segundo semestre no Teatro Riachuelo. A atriz também poderá ser vista na série “Marilyn – O Ensaio”, dirigida por Antonio Bento Ferraz e com produção de Edson Celulari. A atriz premiada que é conhecida por participar de novelas na Globo e Record retorna aos palcos no musical Evoé e brevemente estará no streaming em produção de Karin Roepke e Edson Celulari. 

O sucesso não é nenhuma novidade na vida da atriz, que coleciona prêmios como o de Melhor Atriz Coadjuvante em Drama New Jersey WF 2019 e Melhor Atriz de Comédia Miami WF 2018. Além de um currículo recheado de bons papéis na televisão, como no “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, “Aturando” no YouTube, e nas novelas “Aquele beijo”, “Vitória”, “O Rico e o Lázaro” e recentemente em “Amor sem Igual”. E também no cinema, com atuações nos filmes “Meu nome não é Johnny” e “Se eu fosse você 2”. 

O que você pode contar para a gente sobre sua personagem em “Marilyn-O Ensaio”? A minha personagem é a Bia Lamar, uma preparadora de atores e grande amiga de Mary, que topa entrar no seu novo projeto.

Edson Celulari atuou e produziu a série. Como foi trabalhar com ele? Trabalhar com Edson é sempre um prazer, porque mesmo na produção ele quer que tudo saia da melhor forma possível. Que cada episódio tenha muita potência, de todos os envolvidos. A dedicação e amor que ele tem pelos projetos em que participa é muito visível.

Está ansiosa para voltar aos palcos do teatro? Qual a sua expectativa? Muito ansiosa. Por conta da pandemia estamos há um ano esperando por esse momento. Minha expectativa é a melhor possível. Acho que seguindo os protocolos, será um grande respiro pra quem curte estar em cena no teatro, e também pra plateia, que com certeza devem sentir falta de assistir à um bom espetáculo, que faça rir, chorar e refletir sobre a vida ao mesmo tempo. 

Sobre o que fala o musical “Evoé”? Evoé – O musical conta a história de Jô, um diretor de teatro que ao sofrer um infarto durante a criação de um novo espetáculo, devido a uma vida repleta de excessos, começa a fazer reflexões sobre o significado da vida e da morte. Inspirado na obra- prima de Bob Fosse “All That Jazz”, filme premiado em Cannes e indicado ao Oscar, EVOÉ conta com músicas originais (compostas por Tony Lucchesi e João Fonseca) e adaptações de obras presentes na carreira do diretor João Fonseca.

Qual será o seu papel? O que você pode contar para a gente sobre a sua personagem? A minha personagem se chama Vitória. Ela faz o teste pro Musical, passa a contragosto de algumas pessoas da equipe. Mas escolhida pelo Diretor, eles acabam se envolvendo.

Os ensaios de “Evoé-O musical” foram feitos através da ferramenta do zoom, devido a pandemia. Qual foi o maior desafio em ensaio online? Durante as leituras, foi muito tranquilo estar no zoom. O presencial se faz muito necessário principalmente nos ensaios de coro, porque o zoom não está preparado pra várias pessoas cantando ao mesmo tempo. As coreografias do Alex Neoral fluíram bem. Marcação de cena, é que chega uma hora que precisa que todos estejam no mesmo espaço, porque se tratando de um musical, faz muita diferença estar no presencial.

Qual a principal lição que você aprendeu com a pandemia? Mesmo em meio a tantas dificuldades, com arte e amor, nada é impossível. Pra tudo tem um jeito. Uma nova possibilidade. É só estar aberto. Evoé!

Fotos Faya

Styling Aline Rocha (@alinerochaart)

Beleza Karlla Azevedo (@karllaazevedo)

Locação Studio Faya (@studiofaya)