Determinação e foco definem bem a trajetória de Felipe Titto. Desde sua primeira aparição na TV, isso em “Malhação” em 2005, ainda um carinha cabeludo e franzino, até o Felipe de hoje em dia. Ator conhecido, empreendedor de sucesso e acima de tudo um cara que sabe bem o que quer e o que precisa fazer para conquistar seus objetivos. “Não perca tempo pensando em desistir. A única pessoa que te impede de chegar onde você quer, é você”, declarou ele durante essa entrevista e nós concordamos plenamente. Antes de ser um influencer nas redes sociais, Felipe Titto é um belo exemplo de sucesso que naturalmente já influencia muita gente. Do ator de TV ao empresário, Felipe Titto é vencedor, é um homem MENSCH.

Felipe, olhando sua trajetória desde a estreia como ator na TV com “Malhação” em 2005 até hoje muita coisa mudou, além do seu visual. O que ficou daquele carinha cabeludo e franzino? Faria algo diferente? Comecei muito novo, o que me move é o desejo de realizar meus sonhos. É disso que sou feito e o que permanece em mim é essa vontade de ir buscar tudo aquilo que eu quero. A minha essência é a mesma. Eu sempre batalhei muito pelo o que eu quero. Acho que a primeira pessoa a acreditar nos seus projetos tem que ser você mesmo. E eu acreditei que aquele carinha franzino podia conseguir tudo o que quisesse. Acho que eu não faria nada diferente, me orgulho do caminho percorrido até aqui.

Do Marley de “Malhação” até seu último personagem Abdias em “A Dona do Pedaço”, como se avalia como ator? Cada personagem exige uma preparação diferente e isso é fundamental para a minha evolução como ator. É um amadurecimento constante que além de me aperfeiçoar como ator, me agrega muito como pessoa também.

Num momento onde longos contratos de atores com TVs estão ficando cada vez mais raros, enveredar por outros caminhos graças à visibilidade que a TV dá é o ideal. Ou seja, você é de uma geração de atores-empreendedores cada vez mais comum hoje em dia. Você ultrapassou a TV e não depende mais dela para se manter. Como avalia isso? Foi algo planejado ou as coisas foram te levando para esse caminho? Em 2013 eu fiz a novela “Amor à Vida”. Foi quando virou a chavinha, que eu acordei com 1 milhão de seguidores, e eu não queria depender única e exclusivamente da vida artística. Então eu comecei a investir em outras coisas. Meu primeiro negócio foi um restaurante mexicano que durou cerca de 1 ano e meio. Eu tive 3 ou 4 negócios que não deram certo. Eu quebrei muitas vezes. Mas eu cheguei a conclusão de que o vencedor, é um perdedor insistente. Se eu tivesse parado naquele momento eu seria empregado pelo resto da vida.

Diria que o Felipe empresário superou o Felipe ator? Que espaço cada um tem na sua vida? O Felipe é um só…ator, apresentador, empresário. Apaixonado por tudo o que faz. Eu sou inquieto, não consigo me limitar a uma única coisa. Minha cabeça tá sempre pensando em algo novo. Eu sempre sofri de insônia, então uso a minha insônia para produzir tanto na vida de empresário quanto na vida artística.

Ano passado você iria encarar um novo desafio com o “Dança dos Famosos” e terminou tendo que deixar o programa. O que houve de fato? Como isso te tocou? Eu fiquei muito chateado pois estava me dedicando muito. Mas testei positivo para Covid-19 e o teste exigido pela Globo para retornar aos ensaios não ficou pronto a tempo. Eu já tinha negativado em um exame feito por mim no particular mas os protocolos da empresa exigem outro teste. Para a segurança da equipe, foi melhor eu ficar de fora. Mas eu estava super animado. Sou muito competitivo, não gosto de perder nem em par ou ímpar.

Por falar nisso você parece ser um cara que adora um novo desafio não é? O que te move? Desafios me motivam muito. Quando eu acredito em um projeto, eu entro de cabeça. Procuro estudar muito e me dedicar. Se eu topo um desafio eu não entro pra perder.

Você sempre foi um cara ligado a boa forma, e isso te levou a investir em empresas de suplementos e vida saudável. Que critério usar na hora de consumir e investir em marcas dentro desse perfil? Recentemente eu investi na American Lab, que foi uma marca que meu médico me apresentou. Eu sou consumidor há algum tempo e surgiu a oportunidade de conhecer melhor a empresa e vi que o negócio é sério. Eu não invisto em coisas que eu não acredito.

E no caminho inverso, o que faz marcas diversas apostarem em você? Acho que meu estilo de vida e minhas convicções. Eu sou muito sincero e verdadeiro com o público e acredito que as marcas que apostam em mim estão em busca desse perfil.

Isso sempre fez de você uma referência e influência nas redes sociais. Como administra isso e que cuidados tem na hora de postar ou divulgar algo em suas redes? É muito clássico o julgamento de ver uma coisa gigante e não saber tudo o que se passou para chegar até lá. E eu mostro a minha vida para inspirar as pessoas. Eu sempre lutei muito por tudo que eu tenho e gosto de mostrar que com persistência e dedicação todo mundo é capaz. Mas o que ninguém sabe, ninguém atrapalha. Alguns projetos eu tenho o cuidado de mostrar somente quando já estão idealizados.

Já cometeu deslizes e voltou atrás nas redes sociais? Como controlar isso hoje em dia sendo pessoa pública e empreendedor? Quem nunca cometeu um deslize? Já me arrependi sim de coisas que falei e postei e não tenho vergonha de pedir desculpas. Com essa visibilidade, as cobranças aumentam, mas com o tempo também vamos aprendendo a lidar com tudo isso.

De agenciado para agenciador, como é o trabalho na TiTTANIUM Inc.? A TiTTANIUM faz agenciamento artístico e Marketing de Influência, é muito bom poder trabalhar com um time de artistas que admiro como a Tainá Muller, que está agora com a série “Bom dia, Verônica”, além de criar conexões com marcas vendendo publicidade e ações de marketing.

Que dica daria a quem quer investir em representação de marcas? O que aprendeu como empreendedor que passaria de lição? É muito importante você estudar e aprender sobre o que você vai empreender. Aonde você nasceu não é culpa sua, mas onde você vai morrer a decisão é sua. Eu quero inspirar as pessoas e mostrar que todo mundo é capaz. As pessoas veem muito o que você tem mas não sabem o que passou. Não perca tempo pensando em desistir. A única pessoa que te impede de chegar onde você quer, é você.

Deixando de lado o Felipe empresário, como é o Felipe consumidor? Que critérios usa na hora de escolher uma marca ou produto? Uma coisa está ligada a outra, como qualquer pessoa eu busco qualidade. Se é um produto ou serviço bom, eu vou me aproximar e vou pensar em ações de divulgação.

E como você lida com vaidade? Tanto a física como a de artista? A aparência faz parte do processo da negociação com a minha imagem: as roupas e todos os cuidados estéticos que eu tenho (treinos, alimentação, cabelo, barba, roupas, carros) são um investimento diário de um estilo de vida. Gosto de me vestir bem e tenho uma paixão por tênis (tenho até coleção). Mas como artista tenho zero vaidade. Gosto de tirar fotos, receber o carinho do público quando me encontram por aí. Somos todos iguais, não tem essa de artista intocável… a única diferença de mim para as outras pessoas é que eu apareço na TV de resto faço tudo igual…. pago contas…levanto cedo…corro atrás das obrigações… então comigo é zero estrelismo.  

Falando em vaidade, como mantém a boa forma e a saúde? Eu nunca experimentei bebida alcoólica e não fumo. Acho que isso ajuda muito a ter uma vida mais saudável. Eu procuro me alimentar bem e treino todos os dias.

Na hora de relaxar, o que faz sua cabeça? Aliás, com tantas atividades, existe hora livre pra relaxar? Eu gosto de viajar para desacelerar um pouco, ficar mais em contato com a natureza.

Como lidou e que lições tirou do período de isolamento social? Durante o isolamento, eu continuei trabalhando de casa. Investi em uma empresa de máscaras, a Fashion Med. Eu não queria surfar nessa onda da doença. Mas eu quis que tivesse um cunho social, então cada máscara que eu vendo eu doo outra. Acho que todo mundo tem que ter aprendido algo com o isolamento social. Eu aprendi a dar mais valor à momentos simples e pretendo desacelerar mais a minha vida para poder curtir tudo o que conquistei.

Para encerrar o papo… O que espera para este ano? O que vem por aí, se tudo der certo? Tenho diversos projetos em andamento. Esse ano pretendo voltar para a televisão. Recebi diversas propostas e estou analisando, mas devo ir para a área do entretenimento. Além de seguir com minhas empresas.