Erik Marmo poderia ser o tipo do cara que “se acha”, mas ao contrário do que se pode pensar não é apegado a vaidades, nem se deixar levar por críticas excessivas ou elogios rasgados. Fez sua estréia na TV em “Malhação” em 2000, em “Mulheres Apaixonadas” em 2003 se destacou no meio de um grande elenco de Manoel Carlos e de lá pra cá não parou mais somando um trabalho após o outro. Aos 36 anos, pai de um filho, Erik curte a família acima de tudo, é um amante e entusiasta da arte e tem mostrado que talento não lhe falta, como em seu mais recente trabalho em “Gabriela” como o médico Osmundo. E o que ele quer pro futuro? Leia e conheça um pouco mais desse talento do teatro e TV.Em “Gabriela” você contracenou com ninguém mais ninguém menos que Maitê Proença, um nome de destaque no mundo artístico e uma mulher de beleza inebriante. Algum nervosismo ou ansiedade em gravar com ela? De forma alguma. Ela é uma pessoa super tranquila e me recebeu muito bem. Me senti muito feliz e prestigiado por confiarem a mim este papel tão importante e ter tido a oportunidade de contracenar com a Maitê Proença e o José Wilker.

Osmundo se envolveu com Sinhazinha, uma senhora casada. Consegue condená-los pela traição ou o amor vale tudo e fala mais alto que qualquer convenção? Eles tiveram um romance arrebatador. Acho que o condenável é o fato da mulher não ter a opção de escolher o que é melhor para ela própria e ser forçada a se casar por interesses financeiros, não tendo nem o direito de se separar e tentar recomeçar a vida.

O personagem Claudio de “Mulheres Apaixonadas” foi o grande propulsor de sua carreira? Foi o primeiro trabalho de grande repercussão.

Ser considerado um cara bonito te ajudou ou causou algum tipo de preconceito em relação a qualidade da sua atuação? Quando me convidam para um trabalho, não tenho como saber se é porque me acham talentoso ou bonito. Ou os dois, quem sabe!? O importante é nunca acreditar demasiadamente nem nas críticas nem nos elogios. Assim é mais tranquilo administrar uma carreira de ator, com seus altos e baixos.Dá para saber quando um homem constata que está na hora de formar uma família? Sempre amei crianças e foi uma tendência natural formar minha própria família.

O que faz pra descansar e curtir a família? Quando não estou gravando no Rio ou “fazendo” teatro em São Paulo gosto de viajar com minha família.
Falando sobre teatro… conta um pouco do seu personagem na peça “Cruel”. A peça trata de sadismo, manipulações psicológicas, relações humanas, esse tipo de enredo faz o ator refletir sobre o mundo, sobre as pessoas e sobre si mesmo? Em “Cruel”, fazia o Adolfo, uma pessoa em um momento muito difícil na vida. A busca por esta energia certamente me fez refletir sobre o ser humano e seus defeitos. Foi o início de um período de aprendizado e amadurecimento muito grande e importante para mim, como pessoa e como ator. A vida é deslumbrante e merece ser festejada, mas saber que vivemos em um mundo onde ocorrem tantas atrocidades me deixa agoniado.Que mania as mulheres tem que deveriam ser copiadas pelos homens em como fazer ou lidar? A capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Como trabalhar, cuidar dos filhos, da casa, de si mesma e do próprio marido.

Você é vaidoso? Como lida com a vaidade?  Lido com a vaidade de forma a me ajudar na minha profissão. Tento fazer a leitura se o trabalho pede que eu esteja bem fisicamente e o que pode me ajudar ou atrapalhar na hora de viver um personagem. Tento sempre me adequar aos papéis e não apenas trazê-los até mim.

 

Quais seus cuidados pessoais? Vai além de barba, cabelo e bigode? Quando não estou trabalhando, nem barba, cabelo e bigode eu faço. Quando estou com a pele muito ressecada uso um hidratante e protetor solar sempre que vou à praia, mas nada além disso.
Pra você o que um ator precisa ter para ser considerado um grande ator? Quem são seus referenciais? Versatilidade. Tenho muitos referenciais, entre eles: Elias Andreato, Norival Rizzo, Tony Ramos, José Wilker, Wagner Moura, entre outros. Isso sem falar nos estrangeiros.O assédio dos fãs incomoda ou atesta seu carisma e talento? Os dois. Depende do tipo de assédio. Em qualquer circunstância uma abordagem de forma educada e respeitosa é bem-vinda.

O que curte para ler, ver (filmes/TV) e ouvir? Prefiro ler obras da dramaturgia e coisas afins. Artes em geral, psicologia… Na música prefiro rock, mas também ouço MPB, música clássica… Vejo mais filmes do que assisto TV e só não curto muito aqueles filmes de terror onde um grupo de jovens vai passar um feriado no lago e aí…

Quais seus desejos? Desejo que a arte possa estar cada vez mais presente na vida das pessoas.
Agora seu foco será… Meu foco será a evolução, como sempre!

 

 

Coordenação de Produção: Márcia Dornelles – www.mdproducoes.com
Concepção: Marco Antonio Ferraz
Fotos: Kadu Niemeyer
Styling: Paulo zelenka
Beauty: Everson Rocha
Erick Marmo veste:
look 1) Camisa Adict, gravata borboleta Só a Rigor
look 2) Camisa de smoking Só a Rigor e calça Osklen
look 3) Smoking Só a Rigor, t-shirt Redley e bermuda Emporio Armani
look 4) close da capa T-shirt Zinco

Colchas: Casas Moises
Agradecimentos: Denise Marconi

 

Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb