Depois de muitas participações em novelas e seriados, isso lá no início e 2011, o ator Bruno Bevan, 30 anos, finalmente ganhou seu devido espaço de destaque em uma novela e ainda por cima no horário das 21h. Se você não é de ver novela, ele interpreta o Zé Hélio em “A Dona do Pedaço”, um cara craque em computação e redes sociais, que se apaixona por uma mulher mais madura, e que por incrível que pareça, ainda gera polêmica. “Mais importante que qualquer coisa é que o sentimento seja verdadeiro”, comentou ele durante a entrevista. Fomos conversar com esse dedicado, e simpático, ator que tem muito o que mostrar ainda. Aliás, já tem mostrado que veio pra ficar de vez!

Bruno, esperava esse sucesso todo do seu personagem? Toda vez que começo um trabalho espero sempre um bom retorno de todas as partes. Meu foco é contar a história da melhor maneira possível para que possamos tocar o coração do telespectador. Se como consequência dessa construção tivermos uma grande repercussão, melhor ainda. Fiquei muito feliz como o “Zé Hélio” foi querido por todos.

Falando em sucesso do Zé Hélio, soubemos que você agora está fazendo sucesso com as mulheres mais velhas também. Como é isso? Ah é? Não estou sabendo, me apresenta por favor! (risos). Na verdade, o que vem acontecendo muito com as mulheres mais velhas é essa identificação com a história do personagem. Pude notar que essa é a realidade de muitas pessoas que vivem um amor com grande diferença de idade. O sucesso com as mulheres mais velhas é proveniente dessa identificação e da forma como o Zé Hélio trata a Beatriz, afinal, quem não gosta de ser bem tratado e receber a devida atenção, né?

E como é pra você esse lance de idade em um relacionamento? Já teve alguma experiência nesse sentido? Quando há amor, tanto idade quanto raça, gênero, religião, por exemplo, não são fatores importantes pra mim. Mais importante que qualquer coisa é que o sentimento seja verdadeiro. Nunca namorei uma pessoa mais velha porque ainda não me apaixonei por uma, mas isso não seria um empecilho. Faço sempre de tudo para completar a pessoa que está ao meu lado.

Acha que existe algum preconceito hoje em dia? Por que isso? Acredito que ainda existe, mas torço para que a mensagem que estamos passando através da novela possa chegar até essas pessoas e que elas consigam mudar o olhar para essa questão, notando que existe amor verdadeiro, felicidade, respeito e carinho também quando se trata de um relacionamento desse tipo.

Indo para o início da sua carreira… Como foi? Essa é sua primeira novela de fato? Faço participações em novelas na Globo desde 2011. De lá pra cá foram algumas em “Malhação”, “Avenida Brasil”, “O Outro Lado Do Paraiso”, “Aquele Beijo”, “Guerra Dos Sexos”, “A Força do Querer”, “Os Dias Eram Assim” e “A Fórmula”. Considero “A Dona do Pedaço” minha primeira novela, por estar com um personagem fixo na trama.

Você começou a trabalhar como modelo e depois passou para a carreira de ator. Foi isso? Como aconteceu essa virada? Sempre fui um ator que fazia trabalhos como modelo. As campanhas publicitarias, comerciais de televisão, editoriais e todos esses trabalhos eram minha fonte de renda para poder custear toda a minha formação como ator. Sou muito grato à moda por ter me proporcionado uma vasta experiência ao redor do mundo e me capacitado para exercer meu trabalho como ator. Pude viajar o mundo trabalhando com diversos fotógrafos, diretores e também conhecendo pessoas de todas as raças, religiões, etnias, o que me enriqueceu mais ainda como pessoa e isso me serve como inspiração para a construção dos personagens.

É verdade que você tem Selton Melo como um exemplo a seguir? Já se imaginou contracenando com ele? Dentre algumas referências que tenho de artistas que são fontes de inspiração para mim, ele, sem dúvidas, está nessa lista. Seu trabalho amplo é sensacional, está sempre buscando inovar e saindo do óbvio. Com certeza seria uma linda experiência estar em um trabalho junto com ele.

Como surgiu o convite para participar de “A Dona do Pedaço”? Algo em comum entre você e o Zé Hélio? Estava morando no México quando recebi o convite pelo produtor de elenco para fazer o teste. Foi uma loucura, porque eu tinha que estar no Brasil em dois dias. Decidi largar tudo, comprei a passagem e fui atrás do meu sonho. Passei a viagem todo lendo o monólogo que ia fazer para o teste. Me identifico com a integridade e resiliência do Zé Hélio. Ele também é emocionalmente inteligente para lidar com alguns assuntos e eu, assim como ele, entendo e respeito o outro sem perder minha essência e meus valores.

O Zé é craque em informática e um romântico? Como é você em relação a isso? Não tão craque como ele em informática, mas diria que com uma dose saudável de romantismo, nada doentio (risos). Não só apenas a informática, mas a inteligência pode ser um bom afrodisíaco em uma relação, admiro mulheres inteligentes e bem humoradas.

Como em informática, como lida com redes sociais? Ainda mais hoje em dia que o número de seguidores deve ter aumentado muito? O aumento do número de seguidores foi consequência de um trabalho que conseguimos fazer com muita dedicação e que gerou uma admiração nas pessoas. Mantenho o mesmo carinho com os meus seguidores e continuo enxergando a rede social da mesma forma: compartilhando as coisas que gosto de fazer, assim como informações importantes e usando essa ferramenta para propagar ideias que possam fazer da vida das pessoas e do nosso mundo um lugar melhor. Aquele espaço além de ser meu olhar sobre as coisas que vejo ao meu redor é também um espaço para compartilhar meus pensamentos.

E o que curte para relaxar? Velejar? Como é isso? Nas minhas folgas procuro me conectar com o mar e toda a natureza, busco ali uma fonte de prazer e válvula de escape para toda a correria do dia a dia. Gosto de fazer meus esportes favoritos como surf e kite, que é uma forma de relaxar e ao mesmo tempo se exercitar. Quanto mais você puder exercitar a mente e o corpo fazendo aquilo que você gosta, melhor.

Trabalhar como modelo te deixou mais vaidoso e ligado em moda? Como lida com a vaidade? Não. Obviamente que quando estamos trabalhando, temos uma certa vaidade para que tudo saia da melhor forma possível, para cada foto e cada construção de personagem existe um cuidado com cabelo, maquiagem, figurino, etc. Mas na minha vida pessoal tenho os cuidados básicos que todo homem deveria ter. Passar protetor solar sempre, me alimento bem e levo uma vida equilibrada, sem exageros.

Já que você está solteiro… O que uma mulher precisa ter para chamar sua atenção? E o que faz quando quer chamar atenção de alguém que te interessa? Não estabeleço pré-requisitos para me relacionar com uma mulher, acredito que a conexão é de alma e coração, aquela coisa que bate forte entre as duas pessoas (risos). Mas claro que, como falei, mulheres inteligentes, bem humoradas e que enxergam a felicidade nas coisas simples me chamam mais a atenção.

Depois desse trabalho quais os planos? Continuar fazendo novelas, quem sabe uma de época ou qualquer outra que me tire da zona de conforto para construir um personagem. Quero buscar cada vez mais novas e maiores responsabilidades. Tenho projetos para os canais de streaming e cinema, ano que vem promete muita coisa boa. Um grande final de ano para toda equipe e leitores da MENSCH. 2020 com muita alegria e cheio de realizações!

Fotos Márcio Farias

Styling André Moraes

Beleza Elcides Freitas